Nem sempre o processo de empreender necessariamente visa o lucro ou ganhos financeiros. O foco, às vezes, é outro, como o de buscar soluções sociais e produzir bens e serviços a uma comunidade. Essa atividade é conhecida como empreendedorismo social.

O termo do empreendedorismo social surgiu de conceitos e práticas da administração de empresas ao campo social, tomando emprestado boa parte da lógica de funcionamento do empreendedorismo empresarial. Sendo assim, se refere a qualquer iniciativa empreendedora feita com o intuito de avançar causas sociais e ambientais, no qual seu público alvo são pessoas em situações de risco e marginalizadas.

O Instituto Chapada, projeto idealizado pela pedagoga Cybele Oliveira, é bom exemplo aqui no Brasil, da pratica do empreendedorismo social. O objetivo é ajudar a melhorar a qualidade de educação pública, problema de extrema relevância e notoriedade em nosso país. A organização oferece apoio à formação continuada de professores e gestores de escola, além de auxiliar na criação de redes colaborativas cujo objetivo é fortalecer o ensino formal e também as políticas públicas de educação.

Muitos empresários de grande sucesso também tem seus empreendimentos sociais, como por exemplo Bill e Melinda Gates, que, mesmo com empresas consolidadas e de sucesso, fundaram em 2000 a Bill & Melinda Gates Foudation , com o objetivo central a melhoria das condições de vida, da saúde, e a luta contra a pobreza.

O ato de empreender não necessariamente esta apenas ligado ao lucro. Empreender trata-se de inovar e de reinventar a realidade, não só do empresário mas das pessoas que são atingidas direta ou indiretamente pelo seu empreendimento.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *